Tuatha de Danann – The Tribes of Witching Souls

Heavy Metal Rock | Nacional | 2019

Foto: Rorigo Barbieri/Divulgação

Tuatha de Danann – The Tribes of Witching Souls

Por Daniel Dutra | Fotos: Rorigo Barbieri/Divulgação

Depois de Dawn of a New Sun (2015), o “disco da volta”, o Tuatha de Danann fez um agrado nos fãs ao relançar no ano seguinte o homônimo EP de estreia, de 1999, com a regravação de seis faixas. Mas foi só um aperitivo, porque a ansiedade era mesmo por material inédito para marcar esta nova fase da banda mineira, agora centrada no multi-instrumentista Bruno Maia e em Giovani Gomes (baixo e vocal) e Edgard Brito (teclados). E o trio, com a ajuda de vários convidados especiais, fez valer a pena a espera, porque The Tribes of Witching Souls só tem um problema: é um EP. Fica um gosto de quero mais, apesar de sua duração ser até bastante razoável – sete faixas em 31 minutos e 35 segundos; ou 43 minutos e 30 segundos se consideramos as duas demos que entraram como bônus.

Esse gosto de quero mais, na verdade, surgiu em novembro do ano passado, quando a banda lançou o ‘lyric video’ da faixa-título. The Tribes of Witching Souls é daquelas músicas para meter um sorriso no rosto graças ao seu alto astral, trazendo tudo mais que se espera do Tuatha de Danann além do clima positivo, incluindo melodias vocais caprichadas e um baita refrão (aqui enriquecido pelos corais). É assim que começa o CD, que fica ainda melhor na canção seguinte, porque Turn é simplesmente maravilhosa. O lado celta casa perfeitamente com um instrumental que se aproxima do hard rock – a levada e o riff do início dizem tudo, além de um solo na mesma veia – e traz mais um refrão impecável.


Com participação da vocalista Daísa Munhoz (Vandroya e Inlakesh), a ótima Warrior Queen mostra por que o Tuatha de Danann é uma banda única no Brasil – e que ficou ainda melhor com ajustes que o tempo se encarregou de fazer, como a redução de vocais guturais. Mas o grupo vai muito além, porque a presença de Martin Walkyier, praticamente um membro honorário, mostra também que falamos de um dos mais relevantes mundialmente em seu estilo. Aqui, a participação do ex-Skyclad em Your Wall Shall Fall confirma isso: heavy metal celta absolutamente empolgante e com uma mensagem que diz muito sobre o momento que vivemos. Não está escrito que bandas de rock precisam ser panfletárias, mas como é bom quando elas se mostram conscientes social e politicamente. E está dado o recado: “Damned are ye who would divide”.

Última das realmente inéditas, a excelente Conjura fala da Inconfidência Mineira e tem uma queda mais forte pelo rock progressivo em meio ao mundo celta da música do grupo. Para completar o material mais recente, duas regravações acústicas que, de fato, agregaram muito valor ao EP. Não coincidentemente, a nova versão de Outcry, gravada originalmente em Dawn of a New Sun, ampliou o lado folk da canção, enquanto a do clássico Tan Pinga Ra Tan, de Tingaralatingadun (2001), ficou muito bonita com as vozes de Fernanda Lira (Nervosa) e Nita Rodrigues (Bud Pump). Não que precisasse, mas dá para imaginar como será ainda melhor cantá-la ao vivo.


E temos as faixas bônus, claro: as demos de Rhymes Against Humanity, também do disco de 2014; e a instrumental de The Tribes of Witching Souls, na qual detalhes novos e escondidos chamam muita atenção, principalmente os teclados que dão, novamente, um ar de progressivo confirmado pelo belo desfecho orquestral que ficou fora da edição final do EP, uma evolução natural do caminhado trilhado em Dawn of a New Sun, que consolidou o retorno do Tuatha de Danann depois do hiato de 2010 a 2013. Agora resta torcer para que o próximo trabalho, de preferência um álbum completo, não demore cinco anos para ver a luz do dia.

Faixas
1. The Tribes of Witching Souls
2. Turn
3. Warrior Queen
4. Your Wall Shall Fall
5. Conjura
6. Outcry
7. Tan Pinga Ra Tan
8. Rhymes Against Humanity (demo 2014)*
9. The Tribes of Witching Souls (demo instrumental)*
*faixas bônus

Banda
Bruno Maia – vocal, guitarra, viola, banjo, bouzouki, whistles e Irish flute
Giovani Gomes – baixo e vozes
Edgard Brito – teclados

Músicos convidados
Fabricio Altino – bateria
Rodrigo Abreu – bateria (faixa 4)
Alex Navar – gaita de fole (faixas 2 e 4)
Nathan Viana – violino
Martin Walkyier – vocal (faixa 4)
Jacqueline Taylor – guitarra (faixa 4)
Fernanda Lira – vocal (faixa 7)
Nita Rodrigues – vocal (faixa 7)
Daísa Munhoz – vocal (faixa 3)
David Briggs – bodhran (faixa 3)
Rafael Salobreña – bodhran (faixa 3)
Dana Russi Maia – vocal (faixa 1)

Lançamento: 19/02/2019

Produção: Bruno Maia
Mixagem: Brendan Duffey (faixas 1-5) e Fabricio Altino (faixas 6 e 7)

  • Robson strobel em 09:58

    O thuata nao erra rsrs.pra falar a verdade nem me importo que seja um ep,desde que tenham mais regularidade nos lançamentos. Gracias

  • Bruno Maia em 10:35

    Muito obrigado pelo review! Valeu demais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *